Rota da Cortiça - Portal de Turismo do Algarve

Para visualizar correctamente este conteúdo "clique" no botão em baixo e faça download do último plug-in do Flash Player.

Obrigado.

Rota da Cortiça

Rota da Cortiça

Da cultura do sobreiro à produção das rolhas

A história da cortiça em Portugal está intrinsecamente ligada a S. Brás de Alportel, concelho algarvio onde se fabricam as melhores rolhas do mundo. A proximidade da Serra do Caldeirão, a norte, e a linha de cerros do Barrocal, a sul, proporcionam um paraíso climático para os montados de sobreiros.

Inicialmente utilizada no fabrico de baldes e alguidares, depressa, e graças à industrialização, a casca do sobreiro ganhou novas utilidades. Hoje, produzem-se rolhas, cabos de cana de pesca, penas para volantes de badmington, malas e sapatos, revestimentos para construção, isolantes térmicos e acústicos, entre outros.

O processo de tratamento da cortiça é moroso e exige técnicas especiais. Uma vez extraída do sobreiro, a cortiça é deixada a secar durante seis meses, sendo posteriormente cozida e colocada em repouso algumas semanas. Só depois de separada e prensada, fica pronta para ser transformada.

Actualmente, esta indústria milenar é alvo do interesse turístico. A chamada Rota da Cortiça - um itinerário pela Serra do Caldeirão que mostra a produção dos montados, a extracção da cortiça e a sua transformação industrial - vem também contribuir para proteger e divulgar o único produto em que Portugal é líder mundial.

Actualizado em: 23-02-2018

Visitante: 46597488

  • Turismo de Portugal